Barfeisol


BARFEISOL

 

Como caminho traçado a esmo
Nas areias do mar do destino
Podendo a qualquer momento
Esquecer ou ser esquecido
Somos ainda meninos perdidos
No vai e vem dos desenganos
A que se limitam nossos apegos
E nossa comum falta de sossego.
Mulheres que passam por minha vida
Homens que cercam os seus dias
Espelho difuso, insônia e apostasia
Perfazem nossos pretensos erros.
Patético apostolado obscuro
Pervertido mas em sincronia
São três mulheres e uma sinergia
Não é depravação, nem poligamia
É uma esplendorosa trilogia
Que sustém-se pênsil na lâmina da alegria
Sob vaias, agressões e infâmia.
Indignas, vulgívagas, insensatas diriam,
Apenas por me fazerem companhia
São três as mulheres de quem eu falo
São três que em mil se desdobrariam
Assim… então
Que ria, que riem e que riam.
Pseudônimos e arquétipos que vivem
Envoltos em nossa cosmogonia,
Ao jogo meninas,
Dispamos as fantasias!