Hino a Batalha


Hino a Batalha

João Black
A Plebe maio de 1924

 

Surgindo vem ao longe a Nova Aurora
Que os povos há de unir e libertar,
– Desperta rude, escravo, sem demora,
Não leves toda a vida a meditar.

Destrói as cruas leis de sujeição,
E quebra as vis algemas patronais
O mundo vai ter nova rotação,
Os homens hão de ser todos iguais.

É justo aos parasitas dar batalha,
A terra só pertence a quem trabalha…

Labutas atrelado ao cruel jugo,
Em troca da miséria por desdouro
Enquanto o teu patrão o teu verdugo,
Aumenta a tua custa o seu tesouro.

É tempo já de erguer bem alta a voz,
Bradar ao causador do teu sofrer
– A terra foi legada a todos nós;
Trabalha tu também é teu dever.

É justo aos parasitas dar batalha,
A terra só pertence a quem trabalha…